Viagem Confirmada

Trekking na Patagónia

30 dez 2017 a 13 jan 2018

A Patagónia é o cenário para uma viagem épica. Percorra connosco os seus parque naturais, repletos de icónicos maciços e imponentes glaciares.

A Patagónia inspirou escritores e exploradores de todo o mundo. Chatwin, Sepúlveda e Theroux escreveram sobre estas paragens austrais e o legado continua a inspirar milhares de viajantes. Os grandes maciços do Fitz Roy e das Torres del Paine inspiraram alpinistas e exploradores dos quatro cantos do mundo. A viagem que lhe propomos leva-o a percorrer a pé os trilhos destes parques e a contemplar as suas paisagens avassaladoras. Venha percorrer a mítica Ruta 40 e navegar pelo estreito de Magalhães, saboreie um tradicional assado argentino e a espante-se com o estrondoso glaciar de Perito Moreno. Termine a viagem no fim do mundo, em Ushuaia, um dos mais belos lugares do planeta.

  • Impacto cultural
    Não há diferenças culturais significativas. Irá cruzar-se com a cultura Gaucha - os cowboys da Patagónia.
  • Esforço físico
    Nos dias de trekking caminhamos cerca de 7 horas por paisagens glaciares, de montanha e vales.
  • Nível de conforto
    Dormimos em albergues simples mas asseados e em acampamentos de montanha. Nos acampamentos (5 noites) não há acesso a duche.

30 dez 2017 a 13 jan 2018

2460 €15 Dias
Voo não incluído.  Valor indicativo: 1200€

Número de viajantes

2460€ por viajante

Percurso

Dia 1Chegada a El Calafate (Argentina)

No aeroporto de Calafate vai ter à sua espera o nosso guia local, que o vai levar ao albergue para que se possa instalar. Se chegar cedo aproveite o resto do dia para desfrutar do ambiente da vila e não perca os afamados chocolates regionais. À noite o grupo vai juntar-se para o jantar de boas vindas.

Alimentação: Jantar
Dormida: Albergue

Dia 2Viagem para Chaltén e Trekking Laguna Capri

Depois do pequeno almoço partimos de autocarro rumo a Chaltén, considerada a capital argentina do trekking e uma das mecas do alpinismo. O percurso atravessa uma paisagem remota e isolada e fazemos uma paragem para uma das primeiras vistas digna dos postais da Patagónia - o lago Viedma. Chegados a Chaltén, deixamos aqui parte da nossa bagagem e levamos na mochila apenas o equipamento para o trekking de três dias que temos pela frente, no PN Los Glaciares. O dia de hoje terá entre 3 a 4 horas de caminhada, com diversas paragens para desfrutar da paisagem e descansar. O trilho segue ao longo do Rio de Las Vueltas, ganhando altitude, até que avistamos pela primeira vez o icónico monte Fitz Roy. No horizonte a silhueta das suas agulhas deslumbra pela imponência e beleza. Seguimos depois até ao local do acampamento, montado nas margens da Laguna Capri, onde vamos passar duas noites. O acampamento estará pré-montado com tendas de duas pessoas e dispõe de uma tenda comum, onde jantamos e tomamos o pequeno almoço no dia seguinte. Há casas de banho básicas disponíveis.

Alimentação: Pequeno-almoço, almoço (picnic) e jantar
Dormida: Acampamento

Dia 3Trekking Fitz Roy e Laguna de los Tres

Bem cedo pela manhã, antes do pequeno almoço, se a meteorologia ajudar, vemos as paredes verticais de granito do Fitz Roy ganharem uma cor rosada, uma visão única e inesquecível. Após o pequeno-almoço, partimos para o trekking do dia, que terá uma duração de cerca de 6 horas. Ao final da tarde regressamos ao mesmo acampamento, pelo que na mochila levamos apenas o essencial para usar durante o dia. Começamos por subir até ao Campo Base do Fitz Roy. Depois, seguimos por um trilho que nos leva à Laguna de los Tres. Aqui temos uma das melhores vistas de todo o parque nacional, com a cor azul turquesa da lagoa em primeiro plano e, ao fundo, os glaciares e o maciço do Fitz Roy. Fazemos uma longa pausa para nos deliciarmos com esta vista até que descemos de volta ao acampamento na Laguna Capri.

Alimentação: Pequeno-almoço, almoço (picnic) e jantar

Dormida: Acampamento

Dia 4Trekking Cerro Torre e Regresso a Chaltén

De mochila às costas, damos a volta à Laguna Capri e seguimos por um trilho que nos leva às Lagunas Madre e Hija. Vamos descer até ao vale do Cerro Torre, por uma bela floresta de faias e seguimos até à Laguna Torre, onde nasce o rio Fitz Roy. Aqui, glaciares, icebergs, agulhas de rocha e gelo compõem uma das mais indómitas paisagens da Patagónia. O Cerro Torre é uma das mais famosas montanhas do mundo, e a sua impressionante parede granítica de 800 metros assume-se como um desafio para escaladores dos quatro cantos do planeta. Ao final da tarde, o trilho leva-nos de regresso a Chaltén, onde nos espera um banho quente e uma cama no albergue. Ao jantar será certamente o momento de recordar alguns dos momentos deste primeiro trekking na Patagónia.


Alimentação: Pequeno-almoço (pic-nic) e almoço

Dormida: Albergue

Dia 5Trekking Loma del Pliegue Tumbado

Hoje temos um desafio. O trekking que preparamos para este dia leva-nos ao cume da Loma del Pliegue Tumbado. O trilho atravessa um terreno muito diferenciado ao longo do dia, começando pela densa floresta da base da montanha até aos cenários de glaciares, belas montanhas e lagos, que se vão desvendando à medida que subimos. Do topo dos seus 1500 metros de altitude, avistamos o Cerro Torre e o Fitz Roy, bem como os imponentes glaciares que se encontram entre os dois. Da parte da tarde regressamos a Chaltén. Esta é uma das mais recentes cidades argentinas, fundada em 1985, com o objetivo de marcar uma posição numa zona que ainda é disputada pelos dois países que partilham a Patagónia. Na rua, partilhará histórias com escaladores oriundos de todo o lado que viajam para esta zona para empreender ascensões ao Cerro Torre e ao Cerro Fitz Roy. Celebre, partilhando as histórias dos seus últimos dias, na La Cerveceria com um cerveja artesanal.

Alimentação: Pequeno-almoço, almoço (pic-nic) e jantar
Dormida: Albergue

Dia 6De El Chaltén a El Calafate


A manhã de hoje é livre para que possa relaxar e descansar dos trekkings dos dias anteriores. Descubra alguns dos recantos de Chaltén e contemple as montanhas desde cá de baixo. Se ainda estiver cheio de energia e quiser explorar a região ao máximo sugerimos-lhe um trekking sobre o Glaciar Viedma. Esta atividade não está incluída no valor da viagem, mas o nosso guia pode ajudá-lo com a reserva. Na companhia de um guia local irá colocar os crampons nas suas botas e experimentar atravessar um glaciar recorrendo a técnicas de montanha. Ao final da tarde regressamos a Calafate por uma estrada que acompanha precisamente as margens do lago Viedma, ao longo dos seus 80 km de comprimento, e que é alimentado pelo degelo dos glaciares que o cercam.

Alimentação: Pequeno-almoço
Dormida: Albergue

Dia 7 Glaciar Perito Moreno

O glaciar Perito Moreno é um fenómeno natural que não deixa ninguém indiferente. Devido às raras condições deste glaciar, o gelo avança de forma muito rápida o que torna possível observar o processo da sua rutura nas águas do lago. Vimos de Calafate de autocarro e, no final, fazemos um curto percurso a pé para chegar mais próximo do glaciar, ficando a poucos metros da frente de gelo. O rugir do glaciar e o som dos blocos de gelo a cair nas águas do lago, enquadrados pelas cores que compõem este cenário, tornam o dia inesquecível. No regresso a Calafate temos oportunidade de observar uma grande variedade de aves, e conhecer um pouco melhor este ecossistema.

Alimentação: Pequeno-almoço
Dormida: Albergue

Dia 8Parque Nacional das Torres del Paine (Chile)

Hoje cruzamos a fronteira e entramos no Chile. Saímos cedo de Calafate e esperam-nos seis horas de estrada, pela mítica route 40, com vistas amplas e serenas sobre a estepe patagónica e sobre a Sierra de los Baguales. Ao aproximarmo-nos do Parque Nacional das Torres del Paine começamos a identificar as várias montanhas: Paine Grande, Cuernos, Admiral Nieto e as Torres. O parque é património mundial da UNESCO e, ao admirar a magnitude das suas paisagens e riqueza de habitats, vai perceber porquê. Esta reserva mundial da biosfera acolhe inúmeras espécies como guanacos, flamingos, condores e pumas, entre muito outros. Hoje fazemos o primeiro trekking no parque, mas será uma caminhada curta, de cerca de 2 horas, que nos vai colocar em proximidade com este ambiente e nos vai levar ao acampamento onde vamos passar duas noites.

Alimentação: Pequeno-almoço, almoço (pic-nic) e jantar
Dormida: Acampamento

Dia 9Trekking Torres del Paine

Percorremos o trilho que nos leva às famosas Torres del Paine. Seguimos pelo interior de um estreito vale alpino, até um refúgio de montanha - o Refúgio Chileno. Continuamos ao longo do rio, por entre uma densa floresta, até ao miradouro que nos possibilita as melhores vistas para as Torres del Paine. Um lago de origem glaciar e três imponentes torres graníticas que se erguem 1000m acima do glaciar, compõem este cenário. Já terá visto fotos deste local diversas vezes, mas nada se compara à sensação de o sentir ao vivo. Regressamos ao acampamento para passar a noite. O trekking de hoje têm uma duração aproximada de 7h e será o mais longo de toda a viagem.

Alimentação: Pequeno-almoço, almoço (pic-nic) e jantar
Dormida: Acampamento

Dia 10Trekking Vale Francês e Cuernos del Paine

Depois do pequeno almoço, seguimos para o lago Pehoe e atravessamo-lo de catamarã. Menos de uma hora depois, desembarcamos e damos início ao trekking, que nos vai tomar cerca de 5 horas. Seguimos por um trilho no sopé do Paine Grande e pelas margens do lago Skottberg e atravessamos a ponte suspensa de acesso ao vale Francês, que se encontra numa localização soberba, rodeado a oeste pela parede de 2700m do Paine Grande e a este pelos Cuernos del Paine. 


Alimentação: Pequeno-almoço, almoço (pic-nic) e jantar
Dormida: Acampamento

Dia 11Trekking Glaciar Grey e Puerto Natales

Começamos o dia pelo miradouro Salto Grande, que desvenda uma cascata de 22 metros de altura que leva as águas do lago Skottberg para o lago Pehoe. Seguimos depois até outro miradouro, de onde a imagem dos Cuernos del Paine e do Paine Grande são avassaladoras. O trilho, continua ao longo da margem do glaciar Grey. Esta colossal massa de gelo estende-se por 60 km desde o Campo de Gelo Patagónico, proporcionando-nos impressionantes vistas sobre o parque. Estamos certos de que hoje vai querer parar muitas vezes para longas contemplações da paisagem. Nas secções mais altas, podemos observar o lado sul do lago onde os icebergs se juntam. Avistamos também as montanhas acima dos glaciares Grey e Tyndall e, claro, o lago e o glaciar Grey. O trilho acaba bem perto da zona frontal do glaciar. Ao final da tarde regressamos ao lago Pehoe e seguirmos para Puerto Natales, uma aldeia piscatória situada nas margens do fiorde Ultima Esperanza.

Alimentação: Pequeno-almoço, almoço (pic-nic) e jantar
Dormida: Albergue

Dia 12Estreito de Magalhães e Terra do Fogo (Argentina)

Hoje espera-nos um longo dia de viagem através de uma paisagem inóspita, rumo a sul, em direção ao Estreito de Magalhães. Cruzamos o estreito de ferry e, uma vez chegados à outra margem, estamos em território argentino e na Terra do Fogo. Este famoso estreito, descoberto por Fernão de Magalhães em 1520 tornou-se a rota comum para os navios passarem do Atlântico para o Pacífico antes da abertura do canal do Panamá. Seguimos em direção a uma estância, um rancho típico da Terra do Fogo. À nossa espera vai estar o acampamento já montado, assim como um belo cordeiro assado ao estilo argentino e boa disposição em abundância.

Alimentação: Pequeno-almoço, almoço (pic-nic) e jantar
Dormida: Acampamento

Dia 13Ushuaia e Parque Nacional da Terra do Fogo

Depois de acordar acompanhamos as atividades do rancho, observando os gaúchos nas suas tarefas, e ficamos a conhecer melhor as tradições da Terra do Fogo. A meio da manhã visitamos o Lago Fagnano, no coração dos Andes. E depois seguimos para Ushuaia – a cidade mais austral do mundo. Da parte da tarde fazemos uma caminhada no Parque Nacional da Terra do Fogo, junto à fronteira com o Chile, onde as montanhas se estendem até ao mar. Antes de anoitecer estamos de volta a Ushuaia, onde ficamos a dormir estas duas últimas noites até ao final da viagem.

Alimentação: Pequeno-almoço, almoço (pic-nic)
Dormida: Albergue

Dia 14Navegação no Canal Beagle

Começamos o dia a navegar no emblemático canal Beagle. O percurso permite-nos observar as diferentes espécies de aves e mamíferos que habitam este canto do mundo. Uma visita à Ilha Alicia e à Ilha dos Pássaros mostra-nos comunidades de leões-marinhos e corvos-marinhos. As cordilheiras de Darwin e dos Andes vão estar presentes na paisagem e o famoso farol Les Eclaireurs, construído em 1919, completa mais um cenário digno de postal. A última tarde da viagem é livre para que possa deambular ao seu ritmo pelas ruas de Ushuaia ou beber uma última cerveja neste cenário austral. Se preferir uma tarde mais preenchida sugerimos uma atividade opcional - uma visita à colónia de pinguins de magalhães. Esta atividade não está incluída no valor da viagem e está sujeita a disponibilidade local, fale com o nosso guia que vai ajudá-lo.

Alimentação: Pequeno-almoço
Dormida: Albergue

Dia 15Ushuaia e Voo de Regresso

Mediante o horário do seu voo levamo-lo ao aeroporto para a viagem de regresso. Fim do programa.
Embora a nossa viagem não inclua Buenos Aires, após duas semanas numa das mais míticas regiões do mundo porque não desfrutar de alguns dias ao seu próprio ritmo na cosmopolita capital argentina?

Alimentação: Pequeno-almoço
Dormida: -

Inclui:

Alojamento durante toda a viagem
14 pequenos-almoços, 10 almoços e 9 jantares
Transportes locais
Visita ao Glaciar Perito Moreno
Navegação no Lago Pehoe
Navegação no Canal Beagle
Travessia do Estreito de Magalhães
Acompanhamento de guia durante toda a viagem
Guias de montanhas durante os trekkings
Transferes de aeroporto (dentro das datas do programa)

Exclui:

Voos internacionais
Taxas de entrada nos parques nacionais (aprox 100€)
Alimentação não especificada (aprox 120€ para todo o programa)
Taxa de porto em Ushuaia
Seguro pessoal
Extras pessoais como bebidas, lavandaria, etc
Atividades extra disponíveis: Trekking no glaciar Viedma (aprox 200€); Percurso de barco no canal de Tempanos (aprox 35€); Visita à colónia de pinguins de magalhães em Ushuaia (aprox 100€)
Outras visitas não especificadas e atividades extra

Perguntas Frequentes

  • Para fazer esta viagem preciso de visto?

    
Os portugueses não precisam de visto para estadias, em turismo, inferiores a 90 dias.

  • Como são os alojamentos durante esta viagem?

    Os alojamentos usados nesta viagem dividem-se em albergues e acampamentos. Recorremos a albergues nas povoações e estes dispõem de camaratas mistas com várias camas e casas de banho são partilhadas. Embora as condições sejam simples, não há quaisquer problemas de higiene. Há internet por wifi disponível.
    Nos ambientes naturais, dormimos em acampamentos previamente montados, pelo que, quando chegar ao local do acampamento, com vontade de descansar após o dia de trekking já vai ter a sua tenda pronta a usar. São boas tendas de montanha para 2 pessoas. Há sanitários disponíveis na zona. Nalguns dos lugares de acampamento, há um refúgio de montanha nas imediações, onde faremos as refeições. Noutros não há essas estruturas, pelo que temos uma tenda comum grande para as refeições. Para além das tendas, fornecemos ainda os colchões e sacos cama (com lençol interior) em cada acampamento, pelo que não precisa carregar este equipamento consigo na mochila.
     

  • Esta viagem é fisicamente exigente?

    Esta viagem está ao alcance de todos os que gostem de caminhar em ambiente de montanha durante vários dias. Nos dias de trekking, conte com 6/7h de caminhada por dia a um ritmo lento e passo tranquilo. Os trilhos não requerem conhecimento técnico mas, para quem não tenha um estilo de vida ativo, esta poderá ser uma viagem fisicamente exigente. 

  • Como é a alimentação durante os trekkings?


    Os almoços são fornecidos ao início de cada dia de trekking e são um conjunto de snacks tipo picnic, para que possa ir comendo nas paragens que vamos fazendo ao longo do dia. Podem variar entre sanduíches, saladas, quiches, incluíndo ainda fruta e barras energéticas/chocolates.
    Os jantares são refeições quentes, confecionadas no próprio acampamento pela equipa que gere o local e costumam ser variados ao longo dos dias. Há opção de alimentação vegetariana, mas para tal deverá informar-nos antes da partida para que possamos dar essa indicação atempadamente às equipas de terreno.

  • Quem são os nossos guias?


    Nesta viagem, a Nomad opera com uma agência de guias locais que, desde há vários anos, nos revelou sempre grandes capacidades de organização e competência para operar esta viagem. Esta viagem foi integralmente testada pela nossa equipa, que realizou todos os trekkings e atividades, assegurando um programa de elevada qualidade e consistência. O guia principal vai estar consigo desde o início até ao final da viagem e será apoiado por guias de trekking certificados durante os percursos de trekking. Juntamente com os nossos parceiros, somos uma das poucas empresas a trabalhar em simultâneo na Patagónia argentina e chilena sempre com o mesmo guia ao longo de toda a viagem.

  • Esta viagem exige cuidados de saúde especiais?

    A Nomad recomenda a Consulta do Viajante em Telemedicina (https://www.consultadoviajante.com) como meio preferencial para o seu aconselhamento médico. O Dr. Diogo Medina, responsável por este projecto, é um viajante que entende a nossa maneira de ver o mundo e as necessidades inerentes a uma viagem aventura. A consulta deverá ser feita com um mínimo de 1 mês da data de partida para a viagem.

  • Podem reservar-me os voos internacionais?

    Sim, pode tratar de todos os seus voos com a nossa agência. O voo não está incluído no preço da viagem para que possa ter a flexibilidade de escolher onde quer comprar o voo e de onde quer partir.

  • O grupo viaja em conjunto desde Portugal?

    Não. Nas nossas viagens, o ponto de encontro é sempre no destino. Assim tem a flexibilidade de escolher o horário de voo que mais lhe agradar.

  • Se os voos são marcados de forma individual, como é que se faz a reunião do grupo à chegada?

    Quer marque o voo por si ou através de nós, e independentemente do seu ponto de partida, nós ficaremos com os seus detalhes de voo para que possamos passá-los ao Líder Nomad. Desta forma, ele estará à sua espera no aeroporto para o levar para junto do resto do grupo.

  • Se pretender chegar a El Calafate uns dias mais cedo posso reservar convosco o alojamento? E se pretender ficar mais dias em Ushuaia no fim da viagem?


    Se pretender chegar a El Calafate um ou mais dias antes da data de início da viagem podemos reservar para si noites extra no mesmo alojamento que usamos na viagem. No entanto, isso estará sujeito à disponibilidade do alojamento, pelo que sugerimos que nos faça o pedido assim que saiba as datas da sua viagem. A nossa equipa de atendimento pode prestar-lhe a informação de preço e disponibilidade. Da mesma forma, podemos reservar para si noites extra no mesmo alojamento que usamos em Ushuaia, no final da viagem.

  • Posso inscrever-me sozinho? Isso acarreta algum custo adicional ao valor da viagem?

    Sim, maior parte dos nossos viajantes viaja sozinho. E não tem que pagar qualquer suplemento por isso. 

  • Com quem irei partilhar a minha viagem? Como são os viajantes Nomad?

    Os viajantes Nomad têm todos um grande interesse comum: as viagens. É uma evidência, mas indica imediatamente que são pessoas curiosas, ativas, com gosto por conhecer, explorar e, sobretudo, encontrar uma visão diferente e uma atitude sustentável em relação aos lugares que visitam ou que percorrem. Como de uma característica de espírito se trata, é natural que seja transversal a qualquer faixa etária dos 20 aos 80 anos, e independente dos cargos ou estatutos que se possam ter na vida profissional. São pessoas que procuram a aventura e a descoberta e, por isso, têm uma atitude descontraída face aos imprevistos que possam surgir e preferem o contacto com os costumes locais ao conforto burguês das cadeias internacionais de hotéis ou restaurantes. São, sobretudo, pessoas que se inscrevem a maior parte das vezes de forma individual, e que esperam levar, no fim de cada viagem, a recordação de momentos inesquecíveis entre um grupo de novos amigos.

  • A viagem prevê extensão a Buenos Aires?

    A Nomad não organiza visitas em Buenos Aires por considerar que os nossos serviços não são necessários para uma visita a esta cidade. Se deseja visitar Buenos Aires antes ou depois do programa, na altura de reservar o seu voo reserve alguns dias para isso. Se reservar o voo pela Nomad, refira essa vontade no momento da marcação de voo. Se decidir visitar a cidade, como sugestão, a Nomad recomenda não perder a oportunidade de dançar um tango no Café Tortoni e comprar um livro na Livraria Ateneo.

Resumo de viagem

Destinos

Argentina, Chile

Atividades

Trekking, Navegação

Dormida

Albergue - 9 noites, Acampamento - 5 noites

Transportes

Autocarro regular, Carrinha, Barco

Reservas

Min: 6 | Max: 12

Voo não incluído

Valor indicativo: 1200€

Testemunhos

As paisagens marvilhosas, o espírito de grupo embebido de alegria e entreajuda, a nossa guia sempre atenta e disponível, o humanismo e simpatia de toda a equipa local e o profissionalismo com que fui acompanhada desde o primeiro contacto com a Nomad fizeram desta viagem uma experiência única, divertida, enriquecedora e inesquecível.
Rossana A.
Viagem memorável! Guias extraordinários, muito experientes e atenciosos. Comida excelente. Paisagens deslumbrantes. Os trekkings não têm grande exigência física. Não tenho palavras para descrever a experiência que vivenciámos na Estancia Las Hijas. Grupo muito coeso, solidário e divertido. Viagem de sonho, que superou as minhas melhores expetativas. Só sei que quero lá voltar...
Pedro R.
Viagem sem falhas de organização, com excelentes guias a acompanhar!
Nuno F.
Viagem fantástica com paisagens deslumbrantes, gentes simpáticas, guias competentes... Adorei e recomendo.
Maria S.