Transiberiano

Com Mateus Brandão 14 jun a 03 jul 2018

A mais longa linha ferroviária do mundo, uma obra de engenharia e desafio humano, que permitiu ligar povos de algumas das regiões mais isoladas do planeta, atravessando o coração da Sibéria e as inesquecíveis estepes da Mongólia.

Do Kremlin à Grande Muralha da China, vamos atravessar vários fusos horários e três países apaixonantes, cheios de história, tradições e contradições, sempre recorrendo aos comboios do caminho de ferro transiberiano. Surpreenda-se com a excentricidade da capital russa, relaxe numa banya e ganhe um ano de vida ao mergulhar nas águas geladas do lago Baical, antes de prosseguir viagem para a Mongólia, onde poderá percorrer a estepe a cavalo e dormir num ger tradicional. E, quando finalmente chegar a Pequim, renda-se aos encantos da Cidade Proibida, aos sabores e às cores desta vibrante e sedutora cidade.

  • Impacto cultural
    Os dias no comboio e outros momentos da viagem vão ser partilhados com famílias da região, com costumes diferentes do que está habituado.
  • Esforço físico
    Viagem com pouca atividade fisica para além de pequenas caminhadas e deslocações a pé nas cidades
  • Nível de conforto
    Longas viagens em comboio confortável, sem desvirtuar o nosso estilo de viagem. Dormimos 2 noites num ger de uma família mongol e 6 noites em cabines de comboio (sem acesso a duche).

14 jun a 03 jul 2018

2200 €20 Dias
Voo não incluído.  Valor indicativo: 950€

Outras datas disponíveis:

Número de viajantes

2200€ por viajante

Percurso

Dia 1Chegada a Moscovo

À sua espera, no aeroporto de Domodedovo, em Moscovo, vai estar o Mateus para lhe dar as boas-vindas à capital russa. Mediante a hora de chegada do seu voo, poderá ainda ter tempo para dar uma primeira volta pelas ruas da cidade.

Alimentação: -
Dormida: Hotel

Dias 2 e 3Moscovo

Prepare-se para ficar deslumbrado com esta amálgama de igrejas ortodoxas, relíquias soviéticas e o capitalismo no seu estado mais selvagem. Moscovo é tudo menos tímida - aqui, tudo é feito em "ponto grande". Avenidas largas, edifícios enormes, o clássico e o moderno juntos. A cidade é esmagadora. Vamos explorar alguns dos símbolos mais famosos de Moscovo: o Kremlin, a Praça Vermelha e a Catedral de São Basílio. Vamos explorar o inacreditável Metro de Moscovo, que é um verdadeiro museu subterrâneo, fértil em relíquias, arquitetura soviética e superstições. Sabia que foi construída uma linha "secreta" para evacuar políticos e algumas elites, em caso de ataque à União Soviética? À noite, propomos-lhe experimentar o melhor strogonoff num dos restaurantes mais emblemáticos da cidade. Conforme a disponibilidade de bilhetes, damos-lhe ainda a sugestão de acompanhar o Mateus e assistir a um bailado ou uma ópera.

Alimentação: Pequeno-almoço
Dormida: Hotel

Dias 4 a 7Comboio para a Sibéria

Deixamos Moscovo de comboio por volta da hora de almoço. Por isso aproveite a manhã para se abastecer para a viagem: vamos passar as próximas 80 horas sobre carris, atravessando a Rússia até ao coração da Sibéria. São mais de 5 mil quilómetros de uma só vez - cinco fusos horários! - na Linha Transiberiana. Pouca-terra, pouca-terra? Qual pouca-terra! Muita, muita-terra mesmo. Nesta etapa da viagem deixamos para trás a Europa, os Montes Urais, a Sibéria... e terminamos em Irkutsk, já muito perto do maior lago de água doce do mundo. Descanse enquanto a paisagem vai passando pela janela, converse com os locais, aprenda mais sobre as culturas que atravessamos - e sobre a própria linha transiberiana, tão rica em histórias e mitos. Há muitas paragens ao longo deste trajeto, onde poderá sair do comboio, esticar as pernas, comprar comida aos vendedores ambulantes. E vodka? Vai um copinho?

Alimentação: -
Dormida: Cabine de comboio

Dia 8Lago Baical

Chegamos de manhã a Irkutsk, deixamos os carris e seguimos para o Lago Baical. Dizem que quem molha um pé no Baical, ganha um ano de vida. Verdade ou mito, o facto é que a água é muito fria... Será que alguém arrisca um mergulho? Podemos sempre aquecer outra vez, quando experimentarmos uma banya, a sauna tradicional russa.

Alimentação: -
Dormida: Hotel

Dia 9Lago Baical e Irkutsk

Quando partirmos de volta a Irkutsk, o único arrependimento será o de não podermos explorar o Baical por uma longa temporada. Já na cidade a quem muitos chamam a "Paris da Sibéria", damos uma volta pelo centro, almoçamos e abastecemo-nos para a viagem de amanhã, desta vez em direção ao país de Gengis Khan.

Alimentação: -
Dormida: Hotel

Dia 10Comboio para a Mongólia

O Lago Baical proporciona algumas das vistas mais incríveis de toda a viagem. Posicione-se à esquerda do comboio e desfrute desta paisagem que se desenrola quase até Ulan Ude. Depois chega a fronteira entre a Rússia e a Mongólia - um teste à paciência humana. Ficamos parados sensivelmente duas horas em cada lado da fronteira, mas findo o dia, estaremos novamente sobre carris, a caminho da capital Mongol.

Alimentação: -
Dormida: Cabine de comboio

Dia 11Ulan Bator

Ulan Bator é uma surpresa. Uma cidade de contrastes, onde edifícios modernos ombreiam com gers tradicionais; onde pode perder a cabeça num centro comercial e depois redimir-se num templo budista; ver esqueletos de dinossauros e conhecer a história de Gengis Khan. E como se não bastasse tanta atividade, ao fim da tarde vamos assistir a um espetáculo de música e dança tradicionais da Mongólia.

Alimentação: -
Dormida: Hotel

Dias 12 e 13Estepe Mongol

É pela estepe que a maioria das pessoas vem à Mongólia, no entanto, é pelo céu que toda a gente se apaixona. Neste país o horizonte é imenso, convida à reflexão, ao deslumbre… e a uma boa fotografia. Carregue a bateria da sua máquina e descontraia porque vamos passar duas noites numa Mongólia rural, onde dormimos em gers tradicionais, na companhia de uma família local. Todo o imaginário que tinha construído sobre a vida nómada dos mongóis faz parte do dia a dia destas pessoas, que vivem da pastorícia num dos locais mais remotos do mundo. Haverá passeios a pé e a cavalo, e muito tempo para recuperar energias, arrumar ideias, fazer planos.

Alimentação: Pequeno-almoço, almoço e jantar
Dormida: Ger

Dia 14 Ulan Bator

Regressamos de manhã à capital da Mongólia, onde temos a tarde livre para passear e fazer compras. O nosso conselho é que não deixe de visitar o Museu Nacional da Mongólia. Hoje dormimos em hotel, na véspera de mais uma longa jornada de comboio.

Alimentação: Pequeno-almoço
Dormida: Hotel

Dia 15Comboio para a China

Partimos de manhã para a última etapa desta aventura transmongoliana - ou transiberiana, chame-a como quiser. A verdade é que - polémicas à parte - os dois nomes estão corretos. E o que realmente interessa é que hoje à noite entramos na China, depois de atravessada parte do Deserto de Gobi.

Alimentação: -
Dormida: Cabine de comboio

Dia 16 Chegada a Pequim

Finalmente: Pequim! A sensação de cumprir esta longa travessia de mais de 7500km é difícil de exprimir em palavras e cada um encontrará adjetivos diferentes para a descrever. Chegados à estação, apanhamos o metro para o nosso alojamento, instalamo-nos e, depois de recuperar energias, vamos experimentar a riquíssima cozinha chinesa.

Alimentação: -
Dormida: Hotel

Dia 17Pequim

A capital da China é um permanente desafio aos sentidos. Comida deliciosa, cores novas, cheiros intensos - é impossível ficar indiferente a Pequim! E seja qual for o tempo que se fique nesta cidade, nunca é suficiente. Nestes dias, vamos aproveitar o tempo "como se não houvesse amanhã". Visitamos a Praça de Tiananmen, a Cidade Proibida, o Templo de Lama. Vamo-nos surpreender com a arrojada nova arquitetura do "Ninho" e da zona olímpica. Comemos como reis, mas a preço de saldo. "Perdemos a cabeça" num dos mercados de artesanato e imitações. E imperdível - e irresistível - é mesmo o famoso Pato à Pequim.

Alimentação: -
Dormida: Hotel

Dia 18Pequim e Grande Muralha da China

Depois das voltas matinais para explorar mais alguns dos recantos da cidade, partimos para a Grande Muralha, uma das novas sete maravilhas do mundo. Damos os primeiros passos nesta construção milenar e assistimos ao pôr-do-sol. Por mais que o tenhamos imaginado; por mais imagens ou documentários que tenhamos visto, caminhar na Grande Muralha da China é algo absolutamente indescritível. Certifique-se que leva água... e que a bateria da máquina fotográfica está carregada. É impossível não tirar milhares de fotografias neste lugar.

Alimentação: Jantar
Dormida: Hotel

Dia 19Grande Muralha da China e Pequim

Acordamos cedo e subimos uma vez mais à muralha para desta vez assistir ao nascer do sol. A Grande Muralha é um lugar mítico, apaixonante, imperdível. Dizem os chineses que toda a gente devia ir à Grande Muralha uma vez na vida - e nós não só vamos cumprir à risca esta dica, como vamos caminhar sobre ela serpenteando entre montanhas e florestas.

Alimentação: -
Dormida: Hotel

Dia 20Pequim e Voo de regresso

A aventura chega ao fim - hoje é dia de se despedir do Mateus e regressar. Fim dos nossos serviços.

Alimentação: -
Dormida: -

Inclui:

Alojamento durante todo o programa
3 pequenos-almoços, 1 almoço e 2 jantares
Transportes locais
Transferes de aeroporto (dentro das datas do programa)
Acompanhamento de líder Nomad durante toda a viagem

Exclui:

Voos internacionais
Alimentação (40€/dia aprox), exceto nos dias na Mongólia, fora de Ulan Bator
Entradas em monumentos
Extras pessoais como bebidas, telefone, etc
Vistos
Seguro individual

Perguntas Frequentes

  • Para fazer esta viagem preciso de visto?

    Para esta viagem, a Rússia, a Mongólia e a China exigem visto tratado antecipadamente. A Nomad recomenda a Visateam (http://www.visateam.pt) para o tratamento dos vistos de que necessita para esta viagem. A Visateam é parceira Nomad desde a sua fundação tendo dado provas de profissionalismo e confiança. Os seus especialistas conhecem bem as nossas viagens e estão completamente aptos para ajudá-lo em todo o processo de pedido de visto, quer por telefone/mail, quer presencialmente, nas suas instalações de Lisboa e Porto.

  • Como são os alojamentos durante esta viagem?

    O alojamento desta viagem divide-se principalmente entre hotéis e noites passadas a bordo do comboio. Nos hotéis, os quartos são para duas pessoas. São quartos simples e na maioria dos casos têm casa de banho privativa. Tal só não acontece na noite que passamos no Lago Baykal, onde poderá ter de partilhar o quarto com mais que duas pessoas e onde as instalações sanitárias são partilhadas. De momento, este é o único alojamento da aldeia.
    Nos comboios, cada cabine tem 4 camas e em cada carruagem terá duas casas de banho ao seu dispor, mas sem duche. Há sempre água quente para fazer chá ou café e refeições instantâneas, que podem ser compradas nas estações.
    Nos dias passados na Mongólia, fora da capital, haverá duas noites em gers. Os gers são tendas tradicionais que o povo mongol ainda hoje usa. São altas e confortáveis, aquecidas por um característico fogão de sala e bem isoladas para fazer face ao frio do rigoroso inverno que atinge a Mongólia. Em cada ger dormem normalmente 5 pessoas. Não há banho e as casas de banho são rústicas latrinas de fossa nas imediações. As instalações são básicas, mas os mongóis são muito cuidadosos com a limpeza, pelo que pode esperar boas condições de higiene.

  • Podem reservar-me os voos internacionais?

    Sim, pode tratar de todos os seus voos com a nossa agência. O voo não está incluído no preço da viagem para que possa ter a flexibilidade de escolher onde quer comprar o voo e de onde quer partir.

  • Há algum aeroporto preferencial para a chegada a Moscovo?

    Sim, damos preferência ao Aeroporto Internacional de Domodedovo por ser aqui que chega a maioria dos voos vindos da Europa Ocidental. Caso opte por outro aeroporto, pedimos que nos informe para que possamos organizar o transfere do aeroporto.

  • Se pretender chegar a Moscovo uns dias mais cedo posso reservar convosco o alojamento? E se pretender ficar mais dias em Pequim no fim da viagem?

    Se pretender chegar a Moscovo um ou mais dias antes da data de início da viagem podemos reservar para si noites extra no mesmo alojamento que usamos na viagem. No entanto, isso estará sujeito à disponibilidade do alojamento, pelo que sugerimos que nos faça o pedido assim que saiba as datas da sua viagem. A nossa equipa de atendimento pode prestar-lhe a informação de preço e disponibilidade. Da mesma forma, podemos reservar para si noites extra no mesmo alojamento que usamos em Pequim, no final da viagem.

  • O grupo viaja em conjunto desde Portugal?

    Não. Nas nossas viagens, o ponto de encontro é sempre no destino. Assim tem a flexibilidade de escolher o horário de voo que mais lhe agradar.

  • Se os voos são marcados de forma individual, como é que se faz a reunião do grupo à chegada?

    Quer marque o voo por si ou através de nós, e independentemente do seu ponto de partida, nós ficaremos com os seus detalhes de voo para que possamos passá-los ao Líder Nomad. Desta forma, ele estará à sua espera no aeroporto para o levar para junto do resto do grupo.

  • Posso inscrever-me sozinho? Isso acarreta algum custo adicional ao valor da viagem?

    Sim, maior parte dos nossos viajantes viaja sozinho. E não tem que pagar qualquer suplemento por isso. 

  • Com quem irei partilhar a minha viagem? Como são os viajantes Nomad?

    Os viajantes Nomad têm todos um grande interesse comum: as viagens. É uma evidência, mas indica imediatamente que são pessoas curiosas, ativas, com gosto por conhecer, explorar e, sobretudo, encontrar uma visão diferente e uma atitude sustentável em relação aos lugares que visitam ou que percorrem. Como de uma característica de espírito se trata, é natural que seja transversal a qualquer faixa etária dos 20 aos 80 anos, e independente dos cargos ou estatutos que se possam ter na vida profissional. São pessoas que procuram a aventura e a descoberta e, por isso, têm uma atitude descontraída face aos imprevistos que possam surgir e preferem o contacto com os costumes locais ao conforto burguês das cadeias internacionais de hotéis ou restaurantes. São, sobretudo, pessoas que se inscrevem a maior parte das vezes de forma individual, e que esperam levar, no fim de cada viagem, a recordação de momentos inesquecíveis entre um grupo de novos amigos.

  • Esta viagem exige cuidados de saúde especiais?

    A Nomad recomenda a Consulta do Viajante em Telemedicina (https://www.consultadoviajante.com) como meio preferencial para o seu aconselhamento médico. O Dr. Diogo Medina, responsável por este projecto, é um viajante que entende a nossa maneira de ver o mundo e as necessidades inerentes a uma viagem aventura. A consulta deverá ser feita com um mínimo de 1 mês da data de partida para a viagem.

Resumo de viagem

Destinos

Rússia, Mongólia, China

Atividades

Descoberta cultural, Caminhada

Dormida

Hotel - 11 noites, Cabine de comboio - 6 noites, Ger Mongol - 2 noites

Transportes

Comboio, Carrinha, Ferryboat

Reservas

Min: 6 | Max: 12

Voo não incluído

Valor indicativo: 950€

Testemunhos

O Transiberiano não é uma experiência, são várias experiências inesquecíveis, irrepetíveis, únicas
Teresa J.
O Transiberiano são 7682 km de linhas que se estendem e cruzam e formam laços para a vida.
Ana O.
Uma viagem fantástica e marcante que mudou a minha perspectiva de ver e sentir o mundo!
Sandra M.