Do Ganges ao Rajastão

Com Filipe Ribeiro 27 mar a 11 abr 2021

Presente no imaginário de qualquer viajante, a Índia é uma terra de incrível diversidade. Descobrimos o seu carisma pelo olhar das suas gentes, em celebrações ancestrais, na arquitetura majestosa e nas vibrantes criações culinárias.

Partimos de Deli, a frenética capital, em direção ao sagrado rio Ganges. Pelo caminho, visitamos o icónico Taj Mahal, percorremos o Rajastão e atravessamos o grande deserto do Thar. Pernoitamos em comboios, negociamos nos mercados e participamos em cerimónias religiosas, seduzidos pela simplicidade de um povo singular. 

  • Impacto cultural
    As tradições e costumes são bastante diferentes dos que estás habituado. Podes sentir algumas dificuldades de adaptação, nomeadamente na gastronomia, e em transportes e outros locais frequentemente sobrelotados.
  • Esforço físico
    Viagem com pouca atividade física para além de pequenas caminhadas e deslocações a pé nas cidades.
  • Nível de conforto
    Alojamentos simples, mas com as condições de higiene mínimas asseguradas. Pernoitamos duas noites em comboio, uma em autocarro e uma em tenda. Deslocações longas em transportes públicos.

27 mar a 11 abr 2021

1350 €16 Dias
Voo não incluído.  Valor indicativo: 700€

Outras datas disponíveis:

Número de viajantes

1350€ por viajante

Percurso

Dia 1Chegada a Deli

À chegada, o Filipe vai estar à tua espera no aeroporto de Deli, para te dar as boas-vindas à Índia. Depois será tempo de seguir para o hotel, para descansares do voo e para te reunires com os restantes viajantes.

Alimentação: -
Dormida: Hotel

Dia 2Deli

Vibrante, colorida e com um passado histórico único, a capital da Índia é o reflexo de um país de contrastes. Aventuramo-nos pelas intrincadas ruelas, becos e travessas de Deli  — um choque para os sentidos ocidentais pouco habituados à intensidade destas latitudes. Depois de mergulharmos num gigante mercado onde abundam cheiros, cores e aromas, apanhamos um rickshaw que nos leva ao encontro de alguns dos monumentos mais emblemáticos de Deli, como o templo Laxmi Narayan ou a Jama Masjid, a maior mesquita da Índia. Aproveitamos o final da tarde para um jantar tranquilo, antes de embarcarmos no comboio que nos leva a Varanasi.       

Na nossa primeira longa viagem de comboio, passamos a noite na companhia dos locais. Espera-nos uma verdadeira aventura, mas também uma experiência autêntica, de descoberta e partilha, que marca a nossa passagem pela Índia. 

Alimentação: Pequeno-almoço
Dormida: Comboio

Dia 3Varanasi

Celebramos o Holi, numa das mais antigas e fascinantes cidades do mundo, Varanasi é a Índia que habita no nosso imaginário. Uma das mais importantes festividades hindus, o Festival Holi, em homenagem ao deus Krishna, simboliza a vitória do bem sobre o mal. Deixa-te seduzir pela música, dança, cor e alegria do Holi, num momento épico da nossa aventura.   

É em ambiente de festa que percorremos o emaranhado de ruas medievais que revelam novos templos, deuses, bancas de especiarias e pessoas com histórias de encantar a cada esquina. No bairro mais antigo de Varanasi visitamos o fotogénico Dashashwamedh Ghat, um conjunto de degraus que desagua nas margens do rio Ganges. Continuamos a desbravar a cidade, agora pelas margens do rio sagrado até ao Manikarnika Ghat, famoso por ser o lugar onde a maioria das cremações acontece.

Após um dia intenso, participamos numa Agni Pooja, um cerimónia de adoração ao fogo em devoção a Shiva. Um ritual carregado de simbolismo e emoção, que atrai milhares de fiéis a este lugar sagrado. Este é certamente um dos momentos mais místicos da nossa viagem. 

Alimentação: -
Dormida: Hotel

Dia 4Varanasi

Continuamos a explorar a Cidade da Luz. A bordo de um típico barco da região, navegamos pelo Ganges onde assistimos ao nascer do sol e ao despertar da cidade. Entre piras flamejantes e anciãos que se banham nas águas do rio sagrado, os rituais no Ganges marcam todos os viajantes que procuram a essência da Índia.

Durante a manhã aventuramo-nos num bairro tradicional de Varanasi, para conhecer os artesãos de instrumentos que ainda hoje seguem práticas ancestrais na arte de trabalhar a madeira. Sobra ainda tempo para visitarmos alguns dos templos mais emblemáticos, como o Kashi Vishwanath.

Com a bagagem cheia de memórias de Varanasi, embarcamos num autocarro local, desta vez com destino a Agra. 

Alimentação: -
Dormida: Autocarro

Dia 5Agra

Após mais uma noite a bordo de um comboio, o dia começa devagar. Focamo-nos no quotidiano e nas gentes que habitam a cidade. Exploramos os bairros menos conhecidos de Agra e descobrimos mercados locais. Experimentamos os sabores indianos numa das várias bancas de comida ambulante e deixamo-nos levar pelos ritmos da cidade. À tarde, visitamos o imponente Forte Vermelho. Construído pelo Imperador Akbar no século XVI, o complexo foi considerado Património Mundial da Humanidade da UNESCO em 2007.  

Antes de anoitecer, aproveitamos o pôr do sol para contemplar o Taj Mahal, em tons avermelhados, do outro lado do rio Yamuna. Uma visão esplêndida e seguramente inesquecível.

Alimentação: Pequeno-almoço
Dormida: Hotel

Dia 6Taj Mahal e Jaipur

Despertamos bem cedo para assistir ao nascer do sol numa das 7 Maravilhas do Mundo, o Taj Mahal. Construído pelo imperador Shah Jahan em memória à sua mulher Mumtaz, o Taj é ainda hoje descrito como uma das mais extravagantes declarações de amor. O imponente palácio de mármore branco imaculado é sem dúvida um dos pontos altos de qualquer visita a Agra.

Mais tarde, partimos de autocarro rumo a Jaipur, a capital do Rajastão. Chegamos ainda a tempo de explorar o bairro muçulmano, onde vivem os engenhosos artesãos de mármore da cidade.

Alimentação: -
Dormida: Hotel

Dia 7Jaipur

Dedicamos o dia a descobrir a histórica capital do Rajastão. Porta de entrada para a região mais extravagante da Índia, Jaipur é conhecida pelas suas belas e fervilhantes ruas que desembocam em majestosos edifícios da época colonial. Começamos por visitar o incontornável Palácio de Amber, construído no século XVI.

Durante a tarde exploramos o Palácio dos Ventos, o Hawa Mahal e o Palácio da Cidade — ainda habitado pela família real e famoso pelos seus jardins e pátios interiores. Ao final do dia, visitamos o Jantar Mantar, uma impressionante coleção de instrumentos astronómicos do século XVIII. 

Alimentação: Pequeno-almoço
Dormida: Hotel

Dia 8Pushkar

Conhecida por ser um oásis de tranquilidade, a cidade de Pushkar é um lugar invulgar na Índia. Perdemo-nos pelas intricadas ruelas até alcançarmos as margens do lago sagrado, que todos os hindus devem visitar pelo menos uma vez na vida. Visitamos ainda um templo único no mundo, dedicado a Brahma, Deus da Criação. 

Abrandamos o ritmo e deixamo-nos levar pela serenidade de Pushkar, enquanto escutamos os cantos e os tambores das cerimónias hindus. Ao final da tarde subimos até ao templo de Savitri Mata, para contemplar as vistas deslumbrantes sobre a cidade.

Alimentação: -
Dormida: Hotel

Dia 9Viagem até Jodhpur

À imagem de Pushkar, a manhã de hoje é relaxada. Deambulamos junto ao grande lago e assistimos às orações matinais de vários hindus que aqui se deslocam diariamente para venerar os seus deuses. À tarde, fazemo-nos à estrada pelo interior do Rajastão até Jodhpur, uma das cidades mais importantes da região. Durante a viagem atravessamos uma Índia rural, uma excelente oportunidade para descobrir o outro lado deste país cheio de contrastes.

Alimentação: -
Dormida: Hotel

Dia 10Jodhpur

Hoje dedicamo-nos a explorar Jodhpur, a Cidade Azul. Visitamos o forte de Mehrangarh, uma imponente obra arquitetónica construída no século XV, pelo marajá Rao Jodha. Descobrimos vários palácios, pátios, estátuas majestosas e uma incrível vista sobre a cidade - o Mehrangarh é um dos tesouros mais bem guardados do Rajastão.

Regressamos ao centro da cidade percorrendo o emaranhado de ruas medievais da cidade velha, que formam um complexo bairro de casas azuis que se estende por mais de 10 quilómetros. Este é, certamente, um dos passeios mais fotogénicos da nossa viagem.

Terminamos o dia em beleza na Omelette Man: uma pequenina tasca conhecida por fazer as melhores omeletes da Índia.

Alimentação: Pequeno-almoço
Dormida: Hotel

Dia 11Jaisalmer

De manhã bem cedo, partimos de comboio rumo a Jaisalmer, a última cidade antes do deserto que separa a Índia do Paquistão. Pela sua posição geográfica, a Cidade de Ouro, como é conhecida, continua a ser uma paragem obrigatória na rota das caravanas de camelos que percorrem as dunas da região.

Caminhamos pelos bairros de Jaisalmer à descoberta dos seus encantos. A cidade, carismática e cheia de alma, conquista-nos desde o primeiro minuto. De rickshaw, chegamos a tempo de assistir ao pôr do sol no fabuloso templo de Bada Bagh, que dá vida a este pedaço de deserto. 

Alimentação: -
Dormida: Hotel

Dia 12Deserto de Thar

O forte de Jaisalmer, um dos maiores e bem preservados do país, ergue-se na cidade como uma gigantesca duna. Construído no século XII, este majestoso castelo de areia será o centro das nossas atenções na manhã de hoje. Depois de o explorarmos, sobra tempo para visitarmos o lago da cidade e para recarregar baterias antes de nos aventurarmos no deserto. 

Após o almoço, viajamos em jipes até ao Deserto de Thar, o grande deserto do subcontinente indiano. Conhecido pelas suas dunas e caravanas de mercadores que percorrem uma rota ancestral, o Thar proporciona uma oportunidade única para descobrirmos o lado rural da Índia. Passeamos de camelo pelas areias quentes até uma pequena aldeia perdida no deserto, onde aprendemos com os nossos anfitriões os costumes da região. Depois de vermos o sol cair nas dunas, dirigimo-nos ao acampamento situado no coração do Thar. Absorvidos na mística do deserto, desfrutamos de um jantar tradicional, que culmina sob o maravilhoso céu estrelado do Thar.

Alimentação: Jantar
Dormida: Acampamento

Dia 13Viagem até Udaipur

Deixamos o Deserto de Thar sem pressas. Aproveitamos a manhã para descontrair na solitude das areias do deserto, antes de uma jornada de autocarro noite dentro, que nos leva ao destino final da nossa viagem: Udaipur.

Alimentação: -
Dormida: Autocarro

Dia 14Udaipur

Udaipur é o expoente do imaginário idílico do Rajastão. Serena e charmosa, a cidade transporta-nos para uma Índia menos frenética, ideal para abrandar o ritmo, enquanto nos deixamos seduzir pela Cidade dos Lagos. Madrugamos para um bucólico passeio de bicicleta até ao lago Fateh Sagar. Dali podemos admirar um dos mais importantes observatórios solares da Ásia, e desfrutar do belo nascer do sol do Rajastão. Os mais corajosos poderão aventurar-se nuns mergulhos no lago.

Mais tarde, descobrimos o carismático centro histórico, repleto de edifícios coloniais que se confundem com as cores das belas colinas de Aravalli e do sempre presente lago Pichola.

Alimentação: Pequeno-almoço
Dormida: Hotel

Dia 15Udaipur

De manhã, antes que o calor aperte, descobrimos o magnífico Palácio da Cidade. Construído nas margens do lago Pichola, o palácio é o maior complexo real do Rajastão. Construído em 1559, o edifício foi desenhado para ostentar a riqueza e poder do reino aos povos vizinhos. Descobrimos os seus pátios, pavilhões, corredores, terraços, quartos e jardins suspensos, mas também o museu, que revela alguns dos mais belos artefactos e peças de arte do Rajastão.

Esta tarde reserva-nos um almoço especial. Seguimos pelo emaranhado dos bairros de Udaipur até à modesta casa de Asha. Asha — uma mulher indiana com uma história de vida impressionante — abre-nos as portas da sua cozinha para nos ensinar a fazer o famoso chai, o típico pão chapati e várias variedades de caril. Depois de pormos as mãos na massa, partilhamos o almoço com os nosso anfitriões e deliciamo-nos, não só com as iguarias caseiras, mas também com as estórias que partilhamos à mesa.

O resto da tarde será livre, para saboreares a cidade à vontade. Juntamo-nos depois para um jantar, marcado pelo ambiente de festa e despedida, em celebração das aventuras vividas ao longo dos últimos dias.

Alimentação: Almoço
Dormida: Hotel

Dia 16Udaipur e Voo de Regresso

É dia de despedidas. De acordo com o horário do teu voo, o Filipe vai levar-te ao aeroporto de Udaipur, de onde partes para o regresso a casa.

Alimentação: -
Dormida: -

Inclui:

Acompanhamento do líder Nomad durante toda a viagem
Transferes de aeroporto (dentro das datas do programa)
Alojamento durante todo o programa
Transportes durante todo o programa
4 pequenos-almoços, 1 almoço e 1 jantar
Atividades e visitas descritas no programa
Entrada no Taj Mahal

Exclui:

Voos internacionais
Visto
Alimentação não especificada (cerca de 25€ por dia)
Seguro pessoal
Atividades não especificadas
Extras pessoais

Perguntas Frequentes

  • Para fazer esta viagem preciso de visto?

    Desde 2015 que a Índia disponibiliza o e-Tourist Visa para viajantes com passaporte português. O processo ficou simplificado, deixando de ser necessário fazer o pedido de visto da Embaixada. A Nomad recomenda a Visateam para o apoio ao pedido do visto que precisas para esta viagem. A Visateam é parceira Nomad desde a sua fundação, tendo dado provas de profissionalismo e confiança. Os seus especialistas conhecem bem as nossas viagens e estão completamente aptos para te ajudar em todo o processo de pedido de visto, quer por telefone ou email, quer presencialmente, nas suas instalações em Lisboa ou no Porto.

  • Podem reservar-me noites extra no início e fim da viagem?

    A Nomad pode reservar-te noites extra no início e/ou no fim da viagem. No entanto, está sujeito à disponibilidade do alojamento, pelo que sugerimos que nos faças o pedido assim que saibas as datas da tua viagem. A nossa equipa de atendimento pode prestar-te toda a informação sobre preços e disponibilidade.

  • Como são os alojamentos durante a viagem?

    Escolhemos alojamentos bem localizados no centro das cidades e perto dos principais pontos de interesse, de forma a facilitar as deslocações previstas no programa. São alojamentos que respiram a atmosfera das povoações visitadas, caracterizados pelas marcas culturais da região, de forma a acentuar os contrastes que se podem sentir ao longo da viagem.

    Nesta viagem, os quartos têm sempre duas camas e estão equipados com ventoinha. As casas de banho têm água quente, sanitários europeus e são abastecidas de papel higiénico, mas não deixam de ser asiáticas, pelo que, fora uma ou outra exceção, não têm banheira nem polibã - o chuveiro está montado na própria casa de banho. Quase todos os hotéis têm wi-fi ou computador com internet à disposição dos hóspedes. São sobretudo hotéis centrais ou muito bem localizados, de forma a facilitar as deslocações previstas no programa.

    As viagens de comboio e autocarro são feitas em Sleeper Class, com beliches onde dormimos completamente deitados. Em todo o caso, temos de nos lembrar que estamos na Índia, e as condições dos transportes públicos não são exatamente iguais aos standards europeus ou de outros países asiáticos. Mesmo assim, tendo em conta a nossa experiência, é possível descansar e dormir durante as viagens de comboio.

    A noite no deserto é passada em tendas ou, para os mais aventureiros, ao relento sob o céu estrelado de Thar. Este acampamento não tem casa de banho.

  • Como é a alimentação durante a viagem?

    Famosa pelo seu elevado grau de picante, a comida indiana é por si só uma experiência de viagem. Damos preferência a restaurantes locais, onde os verdadeiros sabores da gastronomia indiana ainda persistem. Pratos menos picantes ou sem qualquer picante fazem parte da ementa, pelo que nunca serão um problema. A Índia é um país amigável para vegetarianos. Na verdade, a maioria dos indianos, por motivos religiosos, não come carne. Portanto, conta com muitos pratos vegetarianos, embora também haja pratos de carne em quase todos os locais da viagem.

    Durante a nossa aventura, visitamos mercados, viajamos de comboio, percorremos ruas e avenidas movimentadas - tudo momentos propícios a provar as deliciosas iguarias indianas comercializadas por vendedores ambulantes. O líder Nomad estará sempre presente para te explicar e ajudar a escolher os melhores petiscos.

  • Como vou gerir o dinheiro durante a viagem?

    A moeda da Índia é a rupia indiana, que usamos durante a viagem já que os pagamentos em moeda estrangeira não são habituais.

    Os cartões de crédito Visa têm aceitação em muitos estabelecimentos, mas em alguns dos restaurantes e mercados onde passamos na viagem só é possível pagar em dinheiro. Outros cartões de crédito poderão não ter uma aceitação muito generalizada. As máquinas ATM estão disponíveis em todas as cidades por onde passamos.

    Durante o programa não está incluída a alimentação da viagem. Não estão ainda incluídas água e outras bebidas, nem algum snack que queiras fazer num local de paragem. Estimamos para a alimentação não incluída um valor de cerca de 20€ a 25€ por dia. A maioria das entradas e atividades descritas no programa estão incluídas. 

    Aconselhamos-te a levar um cartão Revolut ou outro do mesmo género. As principais vantagens são as taxas reduzidas ou inexistentes. Alegadamente, as taxas de câmbio são mais favoráveis do que as dos bancos tradicionais, por isso é uma excelente opção para poupares dinheiro em taxas durante a viagem.

    É conveniente levares um fundo de emergência de cerca de 200€ em dinheiro. Pode servir se, por qualquer razão, não conseguires levantar dinheiro logo à chegada ou noutro local durante o percurso. Nesse caso, farás com facilidade a troca para a moeda local num banco ou numa casa de câmbios.

  • Como é o acesso à eletricidade durante a viagem?

    Em Deli e nas cidades principais, há wi-fi nos hotéis, restaurantes e cafés, mas o acesso à internet nem sempre é muito rápido. Há também uma boa cobertura de 3G nas cidades. Podes facilmente comprar um cartão de telemóvel local, se quiseres. 

    A rede de telemóvel está disponível em todo o país, embora nem sempre de forma contínua. A incursão pelo deserto do Thar será a única exceção. Aqui não existe ligação à internet, e a rede de telemóvel nem sempre funciona.

  • Como são os transportes durante a viagem?

    As viagens noturnas de comboio são feitas em Sleeper Class, com beliches onde dormimos completamente deitados. O mesmo acontece na viagem noturna em autocarro. Em todo o caso, temos de nos lembrar que estamos na Índia, e as condições, nomeadamente higiénicas, dos comboios não são exatamente iguais aos standards europeus ou de outros países asiáticos. Tendo em conta a nossa experiência, podemos dizer que é possível descansar e dormir durante as viagens de comboio. Aliás, viajar de comboio é, sem dúvida, uma das experiências mais marcantes numa ida à Índia. Prepara-te para viver aventuras na companhia de muitos locais, que elegem este meio de transporte devido à vasta rede ferroviária do país. 

    Por motivos logísticos algumas deslocações são realizadas em carrinhas alugadas para o nosso grupo. Nas cidades, damos preferência aos carismáticos rickshaws indianos ou, pontualmente, usamos táxis.

  • Como é o clima durante a viagem?

    Nesta zona central da Índia, onde o Rajastão é o foco da nossa viagem, o clima varia entre a época das monções e a altura seca. As nossas viagens acontecem na altura seca, em que as temperaturas podem ir até aos 35ºC, mas normalmente rondam dos 25º ou 30ºC. A noite é amena e, ainda que não haja grande amplitude térmica, por vezes encontramos temperaturas abaixo dos 20ºC. Apenas no Deserto do Thar sentimos uma grande variação térmica: no nosso caminho pelo deserto a temperatura ronda os 30ºC durante o dia e à noite desce muito, sendo necessário uma roupa mais quente, mesmo estando à volta da fogueira.

    Nesta viagem percorremos muitos quilómetros, contudo a latitude não varia muito, sendo essa a razão de temperaturas constantes e idênticas no decorrer da viagem. Naturalmente, existem experiências que exigem equipamento mais quente, uma vez que têm início antes do nascer do sol e, ainda que a Índia que percorremos seja quente, não vamos viver as monções, altura em que as temperaturas chegam aos 40ºC ou mais.

  • Esta viagem exige cuidados de saúde especiais?

    A Nomad recomenda a Consulta do Viajante em Telemedicina como meio preferencial para o teu aconselhamento médico. O Dr. Diogo Medina, responsável por este projeto, é um viajante que entende a nossa maneira de ver o mundo e as necessidades inerentes a uma viagem aventura. A consulta deverá ser feita com um mínimo de um mês da data de partida para a viagem.

  • Com quem vou partilhar a minha viagem? Como são os viajantes Nomad?

    Os viajantes Nomad têm todos um grande interesse comum: as viagens. É uma evidência, mas indica imediatamente que são pessoas curiosas, ativas, com gosto por conhecer, explorar e, sobretudo, encontrar uma visão diferente e uma atitude sustentável em relação aos lugares que visitam ou que percorrem. Como de uma característica de espírito se trata, é natural que seja transversal a qualquer faixa etária dos 20 aos 80 anos, e independente dos cargos ou estatutos que se possam ter na vida profissional. São pessoas que procuram a aventura e a descoberta e, por isso, têm uma atitude descontraída face aos imprevistos que possam surgir e preferem o contacto com os costumes locais ao conforto burguês das cadeias internacionais de hotéis ou restaurantes. São, sobretudo, pessoas que se inscrevem a maior parte das vezes de forma individual, e que esperam levar, no fim de cada viagem, a recordação de momentos inesquecíveis entre um grupo de novos amigos.

  • O grupo viaja em conjunto desde Portugal?

    Não. Nas nossas viagens, o ponto de encontro é sempre no destino. Assim tens a flexibilidade de escolher o horário de voo que mais te agradar.

  • Podem reservar-me os voos internacionais?

    A Nomad não dispõe do serviço de reserva de voos. O voo não está incluído no preço da viagem, para que possas ter a flexibilidade de escolher onde queres comprar o voo e de onde queres partir. 

    Se quiseres comprar os bilhetes de avião através de uma agência, recomendamos que recorras aos nossos parceiros Rotas do Mundo. Nos dias de hoje, a oferta online de ferramentas de pesquisa e marcação de voos internacionais é imensa, por isso poderás também optar por reservar os voos de forma independente. Se for o caso, sugerimos que consultes motores de busca como o Google Flights e a Momondo, que te apresentam várias soluções com diferentes itinerários, a preços competitivos.

    Lembramos que só deves comprar os bilhetes de avião quando a viagem estiver confirmada, ou seja, quando estiver garantido o número mínimo de participantes para a mesma se realizar. Se decidires inscrever-te na viagem, receberás um email assim que isso aconteça, com a indicação de que já podes proceder à reserva dos voos.

  • Se os voos são marcados de forma individual, como é que se faz a reunião do grupo à chegada?

    A marcação dos voos é da responsabilidade dos viajantes. No entanto, vamos pedir-te os detalhes da tua reserva e os horários de chegada. Esta informação será transmitida ao líder Nomad. À chegada, o líder vai estar à tua espera no aeroporto para te levar para junto do resto do grupo.

  • Posso inscrever-me sozinho? Isso acarreta algum custo adicional ao valor da viagem?

    Podes. A maior parte dos nossos viajantes viaja sozinho, sem qualquer alteração ao preço.

Resumo de viagem

Destinos

Índia

Atividades

Descoberta cultural

Dormida

Acampamento: 1 noite, Autocarro: 2 noites, Comboio: 1 noite, Hotel: 11 noites,

Transportes

Autocarro, Carrinha, Comboio, Rickshaw, Táxi, Tuk-tuk

Reservas

Min: 4 | Max: 10

Voo não incluído

Valor indicativo: 700€

Testemunhos

Uma viagem inesquecível feita de experiências únicas, de um apelo constante aos cinco sentidos, de vivências humanas surpreendentes que constituem uma lição de história, humanidade e humildade.
Maria T.
Esta viagem, em tão pouco tempo, permitiu-me crescer, superar situações desconfortáveis que nunca achei que conseguiria enfrentar, e entregar-me totalmente a este povo.
Francisca V.
Uma viagem em que se tem uma perspetiva real da Índia. O contacto com os locais é sem dúvida uma mais-valia, e os sítios que visitamos e rituais a que assistimos são inspiradores. O líder é uma pessoa espetacular.
Marta B.