Nova Viagem

Do Cabo ao Deserto do Namibe

01 a 15 ago 2021

Uma épica jornada em camião, por uma das mais míticas rotas africanas. Partimos da Cidade do Cabo serpenteando até Windhoek, na Namíbia, e durante 15 dias, exploramos a singularidade da natureza destes territórios.

Nesta aventura todo-o-terreno, atravessamos o deserto do Namibe, assistindo à transformação da paisagem, das pastagens às dunas vermelhas do oeste. Montamos as tendas e caminhamos até ao topo da gigante Duna 45, percorremos as cores surrealistas de Deadvlei e um dos maiores desfiladeiros do mundo, o canhão de  Fish River. Visitamos o imperdível Parque Nacional Etosha, explorando a vida selvagem em estado puro. Conhecemos o modo de vida ancestral da tribo Himba e terminamos em deambulações pelas ruas de Windhoek. 

  • Impacto cultural
    Apesar de ser uma viagem focada na natureza, a cultura local está presente em alguns momentos da viagem, nomeadamente nas cidades e na região de Kamanjab onde predomina a tribo Himba.
  • Esforço físico
    Viagem com alguma atividade física, nomeadamente caminhadas de meio dia e pequenas deslocações a pé nas cidades.
  • Nível de conforto
    Percorremos várias centenas de quilómetros num camião totalmente preparado para proporcionar conforto aos viajantes. Apesar do equipamento de acampamento ser de alta qualidade, o acumular de várias noites em acampamento (10) pode gerar desconforto. Os hotéis são cómodos, sem desvirtuar o nosso estilo de viagem.

01 a 15 ago 2021

1950 €15 Dias
Voo não incluído.  Valor indicativo: 950€

Número de viajantes

1950€ por viajante

Percurso

Dia 1Chegada à Cidade do Cabo

Situada na confluência dos oceanos Índico e Atlântico, aninhada entre as encostas da icónica Table Mountain e as águas brilhantes de Table Bay, a Cidade do Cabo é uma das mais cosmopolitas e cénicas metrópoles de África. À chegada ao aeroporto internacional da Cidade do Cabo, espera-te um transfer para te levar até ao hotel no centro da cidade. Dependendo da hora, aproveita o resto do dia para um passeio pelas ruas do centro, contemplar a famosa arquitetura da Cidade do Cabo ou desfrutar da vida boémia da cidade.

Alimentação: -
Dormida: Hotel

Dia 2Cederberg

Pela manhã, após o pequeno-almoço, é hora de embarcar num camião completamente alterado e equipado, que te leva a percorrer uma grande parte do continente africano. Depois de te instalares e conheceres a tripulação, constituída por dois experientes guias/condutores de camião, pomos os motores em marcha e partimos.

Enquanto deixamos a Cidade do Cabo, a nossa visão é invadida por mais uma imagem das montanhas que circundam a capital da África do Sul. Paramos num miradouro para fotografar a icónica Table Mountain e rumamos à região de Cederberg, cordilheira constituída por um maciço calcário com cerca de 100 quilómetros de comprimento e dotada de cores e formas muito peculiares. Ao chegarmos ao acampamento podes fazer uma pequena caminhada no espaço envolvente para contemplar as magníficas paisagens rochosa de Cederberg.

Alimentação: Almoço
Dormida: Acampamento

Dia 3Bacia do Rio Orange

Voltamos ao camião pela manhã, para prosseguirmos viagem pela costa atlântica até ao rio Orange, que separa a África do Sul da Namíbia. Este é um dos dias mais longos de todo o itinerário. Com origem nas belas montanhas de Drakensberg, no Lesoto, o rio Orange é o mais longo da África do Sul e fonte de uma enorme biodiversidade. Após serpentear alguns dos ambientes mais severos e belos da África Austral, o Orange desemboca numa gigantesca bacia que se estende até à Namíbia e ao norte do Botswana. 

À noite, dormimos próximo da margem do rio, sob o habitual manto de estrelas que regularmente invade o céu por estas paragens após o pôr do sol. É a última noite na África do Sul, antes de passarmos ao próximo território onde esta viagem nos leva - a Namíbia.

Alimentação: Pequeno-almoço, almoço e jantar
Dormida: Acampamento

Dia 4Desfiladeiro Fish River

Durante a manhã, podes simplesmente passar o tempo a descontrair na margem do rio ou fazer um passeio de kayak (atividade opcional). Mais tarde, a bordo do nosso camião, atravessamos a fronteira e seguimos para o famoso desfiladeiro de Fish River. Esculpido durante milénios, este é o segundo maior do planeta. Quente, seco e rochoso, o canhão mede uns impressionantes 160 quilómetros de comprimento, com 27 quilómetros no seu ponto mais largo e 550 metros de profundidade. 

As imponentes vistas sobre o Fish River atraem anualmente centenas de curiosos de todo o mundo. Embrenha-te no dramatismo desta paisagem lunar, numa caminhado pelo topo de uma das falésias que oferece uma visão avassaladora deste gigante que serpenteia a árida paisagem. É aqui, no maior desfiladeiro de África, que vamos passar a noite. Aproveita o pôr do sol para registar esta paisagem única.

Alimentação: Pequeno-almoço, almoço e jantar
Dormida: Acampamento

Dia 5Keetmanshoop

Abrimos o fecho da tenda bem cedo para um dos momentos mais emblemáticos desta travessia africana: assistir ao épico nascer do sol no topo do desfiladeiro de Fish River. Após o pequeno-almoço, regressamos ao camião para continuarmos a viajar em direção a norte. A próxima paragem é a cidade de Keetmanshoop, conhecida como a capital do sul da Namíbia. Da arquitetura colonial alemã espalhada um pouco por toda a cidade, ao museu local instalado numa antiga igreja, Keetmanshoop é uma parte viva da história da Namíbia. No entanto, é a natureza a razão de estarmos em Keetmanshoop. 

A poucos quilómetros da cidade, encontra-se o Giant's Playground. Segundo antigas lendas locais, esta enorme extensão de estranhas formações rochosas teve origem numa batalha entre um grupo de criaturas gigantescas. Mito ou realidade, este Parque de Diversões do Gigante é um surpreendente puzzle de pedregulhos avermelhados, que impressionam pelos seus disformes padrões, tamanhos e formas. Não muito longe deste oceano de rocha, fica o também curioso parque nacional Quiver Tree Forest. Kokerboom, em afrikaner, é a árvore nacional da Namíbia e a planta autóctone deste parque, considerado reserva natural protegida. Conhecida por ser uma das árvores mais resistentes do planeta, a kokerboom cresce apenas em áreas rochosas do deserto e do semi-deserto. Numa tranquila caminhada ao final da tarde, descobre os encantos da flora e fauna desta floresta singular. 

Alimentação: Pequeno-almoço, almoço e jantar
Dormida: Acampamento

Dia 6Deserto do Namibe

Após o pequeno-almoço, fazemo-nos à estrada e rumamos ao deserto do Namibe. À medida que avançamos, avistamos as primeiras dunas douradas, que se estendem ao longo da costa atlântica da Namíbia até a costa de Angola. 

Durante a tarde, entramos no Parque Nacional Namib-Naukluft. Com uma área superior à da Suíça, o Namib-Naukluft alberga os maiores tesouros naturais do país, entre eles a famosa Duna 45 ou o Deadvlei. Aproveita o resto da tarde para repousar e recuperar energias para um dia que se avizinha pleno de aventura e descoberta. À noite, há tempo para acender a fogueira e apreciar o céu estrelado, e o contínuo silêncio que o deserto do Namibe nos oferece. 

Alimentação: Pequeno-almoço, almoço e jantar
Dormida: Acampamento

Dia 7Deserto do Namibe

Deixamos o acampamento de madrugada para um dos momentos mais épicos desta jornada. Pé ante pé, subimos a gigantesca Duna 45 - uma das mais altas do planeta - para assistir a um glorioso nascer do sol. Aquecido pelos primeiros raios de sol, contempla as várias tonalidades de vermelho, laranja e amarelo de um dos desertos mais belos de África. Após mais uma experiência mágica, descemos até ao sopé da duna para continuar a explorar as dunas de Sossusvlei. 

Mais tarde, descobrimos o surrealista Deadvlei, uma bacia de argila branca e cores dignas de uma pintura de Salvador Dali. Tempo ainda para uma caminhada pelo majestoso desfiladeiro de Sesriem. Regressamos ao acampamento ao final do dia para um merecido descanso.

Alimentação: Pequeno-almoço, almoço e jantar
Dormida: Acampamento

Dia 8Deserto do Namibe

O dia de hoje é dedicado aos encantos do deserto. Ao sairmos do acampamento, junta-se a nós um profundo conhecedor deste ecossistema que nos vai mostrar as suas especificidades, enquanto nos guia num percurso a pé pelo deserto do Namibe. Atreve-te a explorar os mistérios de um dos lugares mais singulares de África, num dia repleto de descoberta e fascínio. 

Mais tarde, cruzamos o Trópico de Capricórnio. Ao mesmo tempo, vamo-nos aproximando do oceano Atlântico em direção ao nosso destino final: Swakopmund. Estamos agora a seguir os passos de Bartolomeu Dias, o primeiro europeu a pisar a região durante a sua viagem pela costa ocidental africana, que o levou a transpor o então Cabo das Tormentas. Ao entardecer, chegamos à cidade de Swakopmund, onde passamos a noite.

Alimentação: Pequeno-almoço, almoço e jantar
Dormida: Acampamento

Dia 9Swakopmund

A povoação de Swakopmund nasceu no final do século XIX, com a construção de um forte militar. Hoje, é uma cidade orientada para receber viajantes, e por isso permite-nos fazer uma pausa para recuperar energias. O dia de hoje é, portanto, livre. Dedica-te ao dolce fare niente numa das praias de Swakopmund ou numa das várias esplanadas da cidade. Para os amantes de adrenalina, existem inúmeras atividades de aventura como aluguer de motoquatro, sandboarding, paraquedismo, entre muitas outras. Conta com o apoio dos nossos guias para te ajudarem a aproveitar da melhor forma o tempo em Swakopmund.

Alimentação: Almoço e jantar
Dormida: Hotel

Dia 10Parque Nacional Spitzkoppe

Deixamos a costa atlântica em direção a nordeste e à árida paisagem do maciço de Brandberg - a Montanha do Fogo. Ao longe, da janela do camião, um ponto vermelho destaca-se na paisagem. Com uns impressionantes 2573 metros de altitude, o Königstein - Rochedo do Rei - é o pico mais alto da Namíbia. E os seus enormes monólitos de granito alaranjados a contrastar com as planícies africanas não deixam ninguém indiferente. Sagrado para a tribo San durante séculos, o maciço de Brandberg esconde na sua base mais de 45 mil pinturas rupestres, entre elas a famosa White Lady, com mais de 2000 anos. Acompanhados por um guia local, percorremos a pé os trilhos do Parque Nacional de Spitzkoppe em busca das suas pinturas milenares, mas também da riquíssima fauna e flora da região. Com alguma sorte e perseverança, poderás observar gazelas, zebras ou até elefantes do deserto, entre outros animais selvagens. Regressamos ao acampamento ao fim da tarde, para um merecido repouso.

Alimentação: Almoço e jantar
Dormida: Acampamento

Dia 11Kamanjab e as Tribos Himba

Depois de uma pequena caminhada de manhã, seguimos em direção a Kamanjab. Estamos na região do povo Himba, que mantém as suas tradições bem vivas. É um povo semi-nómada, que se dedica à criação de gado e usa vestes muito características. As mulheres apresentam um tom de pele avermelhado, curiosamente diferente da dos homens, conseguido através de uma mistura de um pigmento natural com gorduras e ervas. Adivinham-se dias de emoções fortes, por isso aproveitamos a tarde para recuperar energias na piscina junto ao nosso acampamento. 

Alimentação: Pequeno-almoço, almoço e jantar
Dormida: Acampamento

Dias 12 e 13Parque Nacional Etosha

Situado no noroeste da Namíbia e famoso por ser um dos melhores parques africanos para a observação de vida selvagem, o Parque Nacional Etosha será a nossa base nos próximos dois dias. A diversidade de vegetação, que varia entre densas matas e gigantescas planícies, bem como os seus enormes lagos fazem do Etosha o habitat natural perfeito para milhares de animais, que sazonalmente migram para a região. Entre eles rinocerontes, leões, elefantes, zebras, girafas antílopes e uma enorme diversidade de aves como flamingos ou pelicanos.

Percorremos o parque à procura dos melhores locais para a observação dos animais. Para os amantes de fotografia de vida animal, este é um verdadeiro paraíso para aproveitar em pleno. À noite, partilhamos os melhores momentos e imagens do dia, na companhia de uma cerveja e muita conversa.

Alimentação: Pequeno-almoço (1), almoço (2) e jantar (2)
Dormida: Acampamento

Dia 14Windhoek

A nossa aventura africana aproxima-se do fim. Pela manhã, partimos para a capital da Namíbia. Percorremos várias horas a bordo do camião que, após algumas paragens para contemplares a paisagem desértica do país, nos leva a Windhoek. Durante a tarde, exploramos a pé as ruas, avenidas e marcos importantes de uma cidade cuja arquitetura é dominada por um estilo alemão que não esconde o seu passado colonial. À noite, em jeito de despedida, celebramos num dos restaurantes mais movimentados da capital. 

Alimentação: Pequeno-almoço e almoço
Dormida: Hotel

Dia 15Windhoek e Voo de Regresso

É o dia das despedidas. De acordo com o horário do teu voo, levamos-te ao aeroporto internacional de Windhoek, de onde partes para o regresso a casa, depois desta épica jornada africana.

Alimentação: -
Dormida: -

Inclui:

Acompanhamento de dois guias durante toda a viagem
Transferes de aeroporto (dentro das datas do programa)
Alojamento durante todo o programa
Transportes durante todo o programa
9 pequenos-almoços, 13 almoços e 11 jantares
Atividades e visitas descritas no programa (exceto as indicadas em Exclui)
Entradas e autorizações nos vários Parques e Reservas Nacionais
Diversas caminhadas com guias locais
Percursos de observação de vida selvagem

Exclui:

Voos internacionais
Visto
Alimentação não especificada (cerca de 200€)
Gratificações à equipa local (cerca de 100€)
Passeio de kayak no rio Orange (cerca de 35€)
Seguro pessoal
Atividades não especificadas
Extras pessoais

Perguntas Frequentes

  • Para fazer esta viagem preciso de visto?

    Os cidadãos portugueses encontram-se isentos de visto para a África do Sul. Todavia, a Namíbia exige a obtenção de visto a cidadãos portugueses. Os portadores de um passaporte português podem obter o visto de entrada à chegada, no controlo de fronteira. O visto é atribuído na hora, sem qualquer custo, mas o passaporte deve ter uma validade de seis meses à data de entrada na Namíbia. São necessárias três páginas livres para carimbos e vistos. 

    Para esclarecimentos mais técnicos, a Nomad recomenda a Visateam. Parceira Nomad desde a sua fundação, tem dado provas de profissionalismo e confiança. Os seus especialistas conhecem bem as nossas viagens e estão completamente aptos para te ajudar em todo o processo de pedido de visto, quer por telefone ou email, quer presencialmente, nas suas instalações de Lisboa e Porto.

  • Como são os alojamentos durante a viagem?

    Nesta viagem, porque estamos em África a visitar lugares exóticos e inóspitos, a Nomad considera que acampar faz parte de uma experiência genuína. Apenas nas noites passadas na Cidade do Cabo, Swakopmund e em Windhoek, ficamos em hotéis centrais, em quartos duplos com casas de banho privadas, água quente e wi-fi.

    Nas restantes noites, acampamos em tendas fornecidas localmente (só tens de levar o teu saco-cama). Todos os locais de acampamento têm casas de banho de apoio com duche de água quente. Mas lembra-te que estás em África, onde a água quente pontualmente pode não funcionar. Em alguns acampamentos terás uma cafetaria de apoio, acesso a internet, piscina e serviço de lavagem de roupa. Em grande parte das noites, tens o privilégio de acampar em zonas isoladas, no meio das planícies africanas, a contemplar o céu estrelado, o que não seria possível em lugares povoados. As tendas são montadas e desmontadas por ti, mas os guias estão disponíveis para te ajudar sempre que necessário.

  • Como é a alimentação durante a viagem?

    A maioria das refeições são realizadas no acampamento. No camião, transportamos mesas, cadeiras e utensílios de cozinha para prepararmos em grupo as nossas refeições. Apesar da confeção estar a cargo dos guias, estes contam com a tua colaboração e apoio nesta tarefa comum, de forma a torná-la num processo ágil e divertido. Normalmente, as refeições são bem servidas e com alguma variedade, tendo em conta as condicionantes de um acampamento. Se fores vegetariano ou tiveres alguma restrição alimentar, deves avisar-nos com antecedência para que possamos planear as refeições com a nossa equipa local.

    Nas cidades há restaurantes de vários tipos de cozinha, incluindo ocidental. Para além destes, podes experimentar a cozinha tradicional da região. A carne de vaca, mas também de vários animais exóticos é encarada como uma iguaria em ambos os países. 

  • Como vou gerir o dinheiro durante a viagem?

    A moeda usada na África do Sul é o rad (ZAR). A moeda oficial da Namíbia é o dólar namibiano (NAD), porém, é bastante comum efetuar pagamentos em rads sul africanos na Namíbia. Os pagamentos que faças durante a viagem serão nestas moedas.

    Podes trocar dinheiro em casas de câmbio na Cidade do Cabo ou levantar em máquinas ATM (as taxas são elevadas neste caso). Caso queiras trocar dinheiro, podes trazê-lo em euros ou dólares (é indiferente). A nossa sugestão é que tragas euros ou dólares americanos para trocar por rands logo no aeroporto da Cidade do Cabo.

    Durante o programa a maioria das refeições estão incluídas. Não estão incluídas água e outras bebidas, nem algum snack que queiras fazer num local de paragem, bem como algumas das refeições descritas no programa. Estimamos para a alimentação não incluída um valor de cerca de 250€.

    Durante a viagem, somos acompanhados por dois guias locais. Neste género de viagem, é tradição gratificar a equipa local no final da viagem. Tendo em conta os padrões do local, sugerimos que reserves cerca de 100€ (opcional).

    Aconselhamos-te a levar um cartão Revolut ou outro do mesmo género. As principais vantagens são as taxas reduzidas ou inexistentes. Alegadamente, as taxas de câmbio são mais favoráveis do que as dos bancos tradicionais, por isso é uma excelente opção para poupares dinheiro em taxas durante a viagem.

    É conveniente levares um fundo de emergência de 200€ em dinheiro. Pode servir se, por qualquer razão, não conseguires levantar dinheiro logo à chegada ou noutro local durante o percurso. Nesse caso, farás com facilidade a troca para a moeda local num banco ou numa casa de câmbios.

  • Como é o acesso à eletricidade na viagem?

    Nas cidades e povoações, há wi-fi nos hotéis, cafés e restaurantes, mas o acesso à internet nem sempre é muito rápido. Há também uma boa cobertura de 3G e rede móvel. Todos os alojamentos nas cidades têm eletricidade. Nesta região, as tomadas são tipo D e M, portanto, deves levar contigo um adaptador ou adquirir um à chegada. 

    Já o acesso à eletricidade nas noites em acampamento varia bastante. Na maioria das vezes, pernoitamos em lugares isolados, onde o acesso a internet, eletricidade e rede móvel é inexistente. Porém, podes carregar alguns dispositivos na porta USB do camião. Noutras noites, acampamos junto a infraestruturas, que disponibilizam wi-fi e eletricidade, e onde normalmente há rede móvel. Recomendamos que leves um power bank de boa qualidade para esta viagem. 

  • Como são os transportes durante a viagem?

    Devido às duras condições do terreno, esta viagem desenrola-se num camião todo-o-terreno desenhado especificamente para este género de travessias africanas. Com capacidade para cerca de 20 pessoas, o camião conta com assentos confortáveis e reclináveis, saída de ar condicionado e luz de leitura individual, porta USB no assento, sanita, grandes janelas para contemplares a paisagem, entre outras comodidades. Tem ainda uma enorme bagageira, onde é transportada a tua mochila, bem como tendas e outros materiais de campismo e cozinha. 

  • Como é o clima durante a viagem?

    Durante toda a rota que une a África do Sul e a Namíbia, vais encontrar uma temperatura amena. No entanto, lembra-te que vais passar por climas desérticos, em que as temperaturas mínimas durante a noite podem descer até aos 7ºC. Durante o dia, conta com máximas de 25ºC. Na altura do ano em que se desenrola esta viagem, o clima apresenta as condições ideais. Em todo o caso, embora improvável, poderá ocorrer uma chuva esporádica.

  • Quem acompanha o grupo nesta viagem?

    Na Cidade do Cabo, no aeroporto, terás à tua espera um transfer da equipa do nosso representante local para te levar ao hotel da primeira noite, onde estará tudo a postos para te receber. No dia seguinte ao pequeno-almoço, irás conhecer os guias principais da viagem, que te acompanharão durante todo o tempo. Em vários momentos da viagem, serás acompanhado por guias locais com formação, que te irão acompanhar na descoberta de um parque natural específico. A língua falada durante toda a viagem é o inglês, mas o grupo é constituído apenas por viajantes Nomad.

  • Esta viagem exige cuidados de saúde especiais?

    A Nomad recomenda a Consulta do Viajante em Telemedicina como meio preferencial para o teu aconselhamento médico. O Dr. Diogo Medina, responsável por este projeto, é um viajante que entende a nossa maneira de ver o mundo e as necessidades inerentes a uma viagem aventura. A consulta deverá ser feita com um mínimo de um mês da data de partida para a viagem.

  • Com quem vou partilhar a minha viagem? Como são os viajantes Nomad?

    Os viajantes Nomad têm todos um grande interesse comum: as viagens. É uma evidência, mas indica imediatamente que são pessoas curiosas, ativas, com gosto por conhecer, explorar e, sobretudo, encontrar uma visão diferente e uma atitude sustentável em relação aos lugares que visitam ou que percorrem. Como de uma característica de espírito se trata, é natural que seja transversal a qualquer faixa etária dos 20 aos 80 anos, e independente dos cargos ou estatutos que se possam ter na vida profissional. São pessoas que procuram a aventura e a descoberta e, por isso, têm uma atitude descontraída face aos imprevistos que possam surgir e preferem o contacto com os costumes locais ao conforto burguês das cadeias internacionais de hotéis ou restaurantes. São, sobretudo, pessoas que se inscrevem a maior parte das vezes de forma individual, e que esperam levar, no fim de cada viagem, a recordação de momentos inesquecíveis entre um grupo de novos amigos.

  • O grupo viaja em conjunto desde Portugal?

    Não. Nas nossas viagens, o ponto de encontro é sempre no destino. Assim tens a flexibilidade de escolher o horário de voo que mais te agradar.

  • Podem reservar-me os voos internacionais?

    A Nomad não dispõe do serviço de reserva de voos. O voo não está incluído no preço da viagem, para que possas ter a flexibilidade de escolher onde queres comprar o voo e de onde queres partir. 

    Se quiseres comprar os bilhetes de avião através de uma agência, recomendamos que recorras aos nossos parceiros Rotas do Mundo. Nos dias de hoje, a oferta online de ferramentas de pesquisa e marcação de voos internacionais é imensa, por isso poderás também optar por reservar os voos de forma independente. Se for o caso, sugerimos que consultes motores de busca como o Google Flights e a Momondo, que te apresentam várias soluções com diferentes itinerários, a preços competitivos.

    Lembramos que só deves comprar os bilhetes de avião quando a viagem estiver confirmada, ou seja, quando estiver garantido o número mínimo de participantes para a mesma se realizar. Se decidires inscrever-te na viagem, receberás um email assim que isso aconteça, com a indicação de que já podes proceder à reserva dos voos.

  • Se os voos são marcados de forma individual, como é que se faz a reunião do grupo à chegada?

    A marcação dos voos é da responsabilidade dos viajantes. No entanto, vamos pedir-te os detalhes da tua reserva e os horários de chegada. Esta informação será transmitida ao líder Nomad. À chegada, o líder vai estar à tua espera no aeroporto para te levar para junto do resto do grupo.

  • Posso inscrever-me sozinho? Isso acarreta algum custo adicional ao valor da viagem?

    Podes. A maior parte dos nossos viajantes viaja sozinho, sem qualquer alteração ao preço.

Resumo de viagem

Destinos

África do Sul, Namíbia

Atividades

Caminhada, Observação de vida selvagem

Dormida

Acampamento: 10 noites, Hotel: 4 noites

Transportes

Camião

Reservas

Min: 6 | Max: 15

Voo não incluído

Valor indicativo: 950€